concurso para o espaço expositivo da trienal de arquitectura de lisboa

Proposta

Falemos de casas…

“Uma casa é uma máquina de habitar” (Le Corbusier)

“A casa é o retrato do seu dono” (Antero de Figueiredo)

“As casas são construídas para serem habitadas e não para serem contempladas” (Francis Bacon)

Por mais definições e conceitos que se possam encontrar sobre a “casa/habitação”, o princípio inerente é sempre o mesmo: um conjunto de elementos arquitectónicos básicos, como paredes, pisos, coberturas e vãos. As questões de envolvente, culturais, sociais, temporais e pessoais fazem com que a “casa” seja diferente, no entanto, o princípio primário desta, permanece igual em qualquer ponto do mundo: um espaço que sirva para “habitar” constituído pelos mesmos elementos arquitectónicos.

Num tempo em que se tenta monopolizar a arquitectura fazendo-a perder toda a sua essência e verdadeira espectacularidade, o espaço expositivo foi pensado por  forma a evidenciar o princípio básico da arquitectura.

Deste modo a cada núcleo representante (África, Brasil, Portugal, Suiça e Países Escandinavos,) foi-se buscar / recuperar o princípio básico e transpô-lo para o espaço expositivo sendo a forma depurada de “casa” e “terreno” a base para a exposição. O conteúdo expositivo iria complementar essa base, caracterizando de forma singular cada núcleo representante.

Cada núcleo seria constituído por um conjunto de 3 módulos, cada um por uma “casa” e “terreno”. O módulo individual, organiza-se pelo espaço de acordo com a malha quadricular existente no desenho do pavimento. Esta malha teve uma componente importante na ligação visual e física entre os vários módulos de cada núcleo e entre os vários núcleos. A forma independente como se organizam todos os módulos e núcleos torna possível uma maior fluidez e flexibilidade na organização geral de toda a exposição.

A ideia de não “agarrar” fisicamente os módulos ao espaço confere-lhes um carácter itinerante e adaptável a outros espaços que não o do Grande Hall do Museu Colecção Berardo.

Arquitectura

nu.ma | unipessoal, lda em co-autoria com Paulo Reis | arquitecto

Localização

Lisboa

Data

2010

Dono de obra

Trienal de Arquitectura de Lisboa

Observações

5º lugar

Equipa de projecto

-